sábado, 8 de fevereiro de 2014

Caminhos da Vida - Por Thais

   
      Era uma linda manhã de sábado resolvi marca um encontro  com Marlay uma garota que sempre ligava para meu namorado, para  contar a ele as coisas anormais q aconteciam com ela, era um dia chuvoso, fiz minha primeira ligação. De inicio ela não queria muito conversa sobre esses assuntos mas eu insisti tanto que ela me deu uma chance para nos encontrarmos.
     
      Marquei o encontro para um quinta-feira, era um dia muito bom afinal eu estaria com um tempinho de sobra para fazer muitas perguntas a moça, de certa forma eu não sabia o verdadeiro nome da menina , mas sabia que ela não gostava muito de mim, caminhei pela cidade estava em direção ao teatro BORYNG quando uma moça se aproximou de mim e disse coisas horrendas e assustadoras a respeito de Marley, bom de inicio não dei muita importância as palavras daquela mulher pois estava cansada demais. Cheguei em casa as 20:00 não havia um ligação um recado na secretária eletrônica, é realmente eu estava sozinha .


      Tomei um banho e liguei para um restaurante japonês e pedi sushi, abri uma garrafa de vinho sentei em meu sofá e me debrucei nas almofadas. as 20:30 o jantar chegou paguei o entregador e voltei para o sofá , já passava das 20:50 resolvi comer um pouco, mau sentei na cadeira a campainha começou a  tocar , bom eu demorei um pouco pra atender afinal estava cansada e não queria conturbações em meu jantar. Levei um grande susto quando vi Albert um grande amigo de trabalho, perguntei imediatamente o que ele queria, ele sorriu e perguntou se eu não me lembrava do jantar que eu tinha convidado ele na ultima sexta , dei um sorriso sardônico e disse que claro q me lembro , pedi que ele entra-se e senta-se .

      Estávamos no meio do jantar quando Albert fez a primeira pergunta
-você esta tão abatida
-eu não.. Respondi com um sorriso tristonho
-esta sim, diga-me o que tanto te preocupa?
       Nada.. Respondi novamente com um olhar serio.
-não tente me enganar..
-Não estou tentando te enganar Albert... Respondi novamente com olhar de irritação.
      Albert segurou minha mão e disse.
-tudo bem.. Tudo bem, não precisa ficar irritada.
      Voltamos a jantar silenciosamente, após terminamos ele se despediu de mim com um abraço.

      Na manhã seguinte acordei no maior desespero estava quase na hora do encontro com a tal garota, arrumei-me imediatamente.

      Cheguei ao local marcado 5 minutos antes, de longe eu avistei uma moça alto magra tão magra quanto eu, aproximou-se e disse:

-o que você queria comigo?
      Respondi quase sem voz.
-gostaria de fazer-te algumas perguntas
-ham.. Respondeu a moça.
      Olhei bem para ela e disse.
-sente-se já podemos começar..

      Bom eu não demonstrei muito, mas eu estava muito ansiosa para descobri o que essa moça queria com meu namorado, aproveitei o momento de silencio e fiz a minha primeira pergunta.

      Bom primeiramente como é seu nome?  Perguntei sem medo.
-Malary, respondeu a moça.
-qual é sua idade Malary? Perguntei.
-20, respondeu ela.
      Bom eu não tive muito tempo de fazer muitas perguntas a ela, pois quando ia pergunta a terceira ela me interrompeu dizendo.
- o que você quer comigo?
      Respondi calmamente.
- gostaria de saber por que você vive ligando para Simon..
-a então você que é a inútil que vive querendo zombar de mim. Disse ela.
-eu não, respondei com voz de espanto.
      Ela se levantou e saiu correndo, corri em direção a ela mas não foi possível encontra-la, fui para casa arrasada.

      Cheguei em casa muito deprimida, sentei em uma poltrona e pensei que tipo de pessoa perde uma grande oportunidade dessas, chorei e respondi dentro de mim mesma, eu eu.. eu perco..

      As 21:00 recebi uma mensagem era meu namorado estava preocupado comigo, respondi a mensagem e fui dormi. Na manhã seguinte olhei em meu celular haviam 3 mensagem e cinco ligações perdida dele , retornei as ligações ele atendeu, e perguntou se eu teria um tempinho para ir conversar com ele respondi que sim, então ele marcou comigo no restaurante Vila Nova as 20:00.

      Já eram 17 horas da tarde fui ao shopping comprar alguns livros de anatomia e umas roupas, cheguei em casa as 18:00h , corri e fui me arrumar , peguei meu carro no estacionamento do prédio e fui direto ao restaurante, cheguei lá cinco minutos antes, esperei um bom tempo ate que Simon chegou .ele olho fixamente em meu olhos e disse.

 -Por quê você não atende meus telefonemas, e tão pouco responde minhas mensagens..
      Respondi com um olhar triste e abatido.
–estou sem tempo para bobagens..
- bobagens .. ham , é isso que você acha? Perguntou Simon quase sem voz 
      Respondi com muita paciência..
 -não.

      Ele olhou para mim e perguntou por que você me despreza, sinceramente estou cansado de suas mentiras, diga-me você me odeia né? Por isso me trata assim. Pedi a ele que nós fossemos a outro local uma praça talvez, ele concordou então fomos ate a praça.

      Ele disse.
 -Miray diga quais são seus verdadeiros sentimentos em relação a mim?
      Olhei bem para ele e disse.
-responda você primeiro, quais são seus sentimentos por mim?
-eu te amo Miray..
      Olhei para ele disse.
-eu não.
      Ele olhou para mim com um olhar triste dizendo.
 -por que você faltou as aulas os alunos estão preocupados com você ,eu respondi
-eu na sei talvez eu esteja muito equivocada com algumas coisas ..
      Ele disse
 – que coisas são essas?
      Respondi com um olhar serio.
– coisas obscuras que não convém te falar .
      Então por alguns minutos tudo ficou silencioso, Simon olhou para mim e disse.
-desisto acho melhor nos dois darmos um tempo..

       Simon se levantou e deixou-me sozinha, naquele instante chorei, porém não fui atrás dele, voltei para casa e fiquei pensando no quanto eu tinha sido egoísta com Simon , peguei me celular e liguei pra ele, mas ninguém atendia, naquela noite liguei para ele 6 vezes e nada nem um sinal ninguém atendia, no dia seguinte acordei pior que no dia anterior tomei três xícaras de café, eu fui me arrumar para ir a faculdade dar a ultima aula antes do encerramento do ano letivo, fui ate a sala onde  Simon dava aula e os alunos disseram que ele faltou quatro aulas seguintes desde a ultima terça feira, corri liguei meu carro e sai em direção a casa de Simon, ao chegar lá Simon , estava conversando Maraly , sai correndo na meio da rua sem direção, Simon ligou para mim três vezes, não pude atender, teve que ir a pé para casa , ao chegar tomei um banho peguei uma xícara de café , e acabei dormindo acordei as 00:00 alguém estava tocando a campainha, quando abri a porta, levei um susto era Simon ,eu olhei e perguntei se ele gostaria de entrar ele disse q sim, então ele entrou e ficou me observando , ate que resolvi perguntar algo a ele.

- Simon o que existe entre você a aquela moça?
Simon olhou para mim e disse
-ela é uma paciente
-ram..

      Ficamos um bom tempo em silencio , então Simon olhou para mim e disse que me amava , eu disse a ele que eu o desprezava, Simon olhou dentro de meus olhos e disse
–aconteça o que acontecer não me esquece, você diz isso mas eu sei que no fundo de toda essa imensidão existiu amor
Naquela hora vi Simon sair pela porta deixando uma pequena caixa , peguei a caixa e joguei no lixo
No dia seguinte recebi a noticia de que Simon estava no hospital, fui visita-lo. Quando cheguei lá Simon sorriu e disse:

–sabia que você viria
      Resmunguei e disse.
–logo você sai dessa.
-ele disse não
      Eu olhei disse
-claro que sim
-estou muito doente anjo não tenho mais jeito.

Sai correndo de lá e pensei aquele idiota pensa que eu vou ficar com ele coitado eu quero que ele morra mesmo. Cheguei em casa tirei a caixinha do lixo e guardei pro caso dele voltar e querer ela de volta. Uma semana depois eu recebi a noticia que doeu em minha alma Simon falecera, chorei a noite inteira, no outro dia peguei a caixinha dentro dela tinha um pequena carta na qual estava escrito, você pode dizer que não mas no fundo no fundo você me ama, chorei mais ainda, fui ate o enterro de Simon e deixei uma rosa, aquele foi ultimo dia no qual eu vi o grande amor de minha vida..
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Essa é uma historia de Thais.
quem gostou comente, ela é uma ótima escritora.
Publique aqui!

3 comentários:

Anônimo disse...

você e burra? ele disia que te amava e vc simplesmente queria que ele morresse entao aconteceu feliz agora? ele te amava e simplsmente

Anônimo disse...

eu só acho que ela nun deu valor pra o ke tinha, se fosse eu agarraria e não soltava mais!! hahaha ;3

Anônimo disse...

Nossa vooc tem qe aprender a dar valor a pessoa qe vooc ama pq depois qe morer nao aditada chorar pq lagrimas algun tras a pessoa devolta...mais adorei o texto...so tipo assim mais nao deixo o meu amor parti,sou bem cuidadoso.estou prezente 24hrs na vida dele,e fasso tudo por noix...a vida eh feita de escolha entao temos qe escolher oq eh melhor pra nois...mais nao deie qe o orgulho fale por vooc poq isso pode ser fatal...bjssssss