terça-feira, 10 de julho de 2012

O começo eo fim




Os senhores Leonard e Vitoriam Hudsson tiveram uma filha muito bela, morena de olhos azuis e bem lisos ate a cintura, e bem branquinha. Assim eu sou Victôriana Hudsson. No vilarejo onde moro, era comum os camponeses contarem historias sobre vampiros. Isso tudo me fascina passava horas na floresta atrás de minha casa. Em um dia nublado
, meu pai Leonard veio chamar-me para entrar, pois ia chover. Nesse tempo em que ficava na floresta, nunca havia deitado no chão, sempre sentava numa pedra. Mas aquele dia estava diferente. Meu pai encontrou-me deitada no chão com uma ferida no pescoço. Meu pai, levou-me para dentro.Preocupado com a ferida, perguntou a minha mãe se na floresta havia um animal atacasse as pessoas.
_ Não Leonard, acho que não
Aos poucos abri os olhos, minhas Iris estavam fluorescentes, em minha garganta a sede de sangue aumentava cada vez mais. Pensei em atacar meus pais, seja la o que eu tenha me tornado, mas meu coração “alertou-me” que essas duas pessoas a ,minha frente tinham me dado a vida.
_ Victôriana, o que houve com seus olhos?
_ não sei minha mãe. – respondi
_ o que aconteceu? Quem fez isso com você? – perguntou meu pai
_ não me lembro. – me lembrava muito bem, conhecendo meu pai muito bem, ele iria voltar lá para matar aquele belo rapaz : alto, loiro, cabelos nos ombros, seu nome era Leonel Draculian.
Os dias iam passando e a vontade de sangue era maior cada vez mais, comecei a atacar animais e beber o sangue deles.Cada vez que eu os atacava, meus caninos afiavam e aumentavam.
Em uma noite fria, nublada (como sempre eram as noites e os dias em meu vilarejo) reencontrei Leonel
_ Victôriana, o que fazes aqui?
_ não sei o que me aconteceu, meus olhos estão fluorescentes ... - antes de concluir o que eu estava dizendo, percebi que os olhos de Leonel estavam iguais aos meus, fluorescentes. Pensei : será que fora ele quem que me transformou ? Mas meu raciocínio foi interrompido pelo Leonel .
_ eu acho que a senhorita deve saber o que aconteceu.
_ diga-me, então
_ Minha cara Victôriana, eu sou vampiro, por isso meu nome é Draculian, pois sou Conde Draculian, de Drácula. Eu tenho mais três noivas : Cassandra, Elisabeth e Ânia, moro com elas e meu irmão Hadu em meu castelo, atrás da floresta onde nos encontramos. E quero que você se torne minha noiva.
No momento em que ele disse a palavra “noiva”, parecia que eu tinha congelado. Não queria ir, mas ao mesmo tempo queria.
_ e então, o que me diz?
_ não sei Leonel, isso é tudo muito novo para mim, não faço idéia no que você fez.
_ venha Victôriana, você também é uma vampira.
Perguntei se podia me despedir de meus pais, ele disse que iria ser pior, então fui. Chegando lá, reparei que o castelo parecia sujo, e bem antigo.
Logo veio três moças, muito bonita
_ Mestre! – disse uma das moças
_ Minhas caras noivas, quero apresentar-lhes Victôriana, minha noiva. Victôriana, essas Cassandra, Ânia e Elisabeth.
Cassandra era muito bonita: loira, cabelos encaracolados,, olhos castanhos. Percebi que não gostou muito de mim. Elisabeth, era a mais bela : ruiva, olhos verdes, cabelos comprido. Ânia também era muito bonita, mas como era muito amiga de Cassandra não gostou de mim.
Ainda mais porque Leonel fazia tudo por mim, então as outras ficaram com ciumes.
Ate então nunca tinha visto o irmao de Leonel, ele disse que o irmao e assim mesmo.

Nenhum comentário: