quinta-feira, 12 de abril de 2012

Lendas Vampiricas







      As  lendas de vampiros já existem desde o ano de 125 a. C., altura em que ocorreu uma das mais conhecidas histórias sobre vampiros. Foi uma lenda grega. Na verdade pode-se afirmar que esse tenha sido o primeiro registo por escrito, pois as origens do mito  perdem-se por séculos e séculos atrás quando a tradição oral prevalecia. Lendas sobre vampiros são originárias do oriente e viajaram para o ocidente através da Rota da Seda para o Mediterrâneo. De lá, elas se espalharam por terras eslavas e pelas montanhas dos Carpathos. Sendo que os eslavos têm as lendas mais ricas sobre vampiros.

      Elas estavam originariamente mais associadas aos iranianos e mas, apartir do século VIII  espalharam-se por terras eslavas. Quase na mesma época em que essas histórias começaram a se difundir, iniciou-se o processo de cristianização da região, e as lendas de vampiros sobreviveram como mitos muitas vezes associados ao cristianismo.

      Mais tarde, os ciganos migraram para o oeste pelo norte da Índia (onde também existem um certo número de lendas sobre vampiros), e seus mitos se confundiram com os mitos dos eslavos. Os ciganos chegaram na Transilvânia pouco tempo depois de Vlad Dracula nascer em 1431. O vampiro aqui era um fantasma de uma pessoa morta, que na maioria dos casos fora uma bruxa, um mago, ou um suicida.

      Vampiros eram criaturas temidas, porque matavam pessoas ao mesmo tempo em que se pareciam com elas. A única diferença era que eles não possuíam sombra, nem se refletiam em espelhos. Além disso podiam mudar sua forma para a de um morcego, eram criaturas difíceis de capturar e bastante perigosas. Durante a luz do dia dormiam em caixões, e à noite alimentavam-se do sangue humano, já que os raios solares eram letais para eles. Os Vampiros gostavam especialmente de atacar pela meia noite, voar por uma janela na forma de um morcego e morder a vítima no pescoço de forma que seu sangue fosse totalmente sugado. Os vampiros não podiam entrar numa casa se não fossem convidados. Mas uma vez que eram poderiam retornar quando bem entendessem. Os vampiros eslavos não eram perigosos somente porque matavam pessoas, (muitos seres humanos também faziam isso) mas também porque suas vítimas, depois de morrerem, também se transformavam em vampiros. A característica mais temida dos vampiros era o facto deles serem praticamente imortais. Apenas alguns rituais podiam matar um vampiro como por exemplo: transpassar o seu coração com uma estaca, cortar-le a cabeça ou queimar seu sangue.  Esse tipo de vampiro também é o mais conhecido, por ter sido imortalizado na figura do mais famoso vampiro de todos os tempos, o Conde Drácula, de Bram Stoker.
     
      Hoje em dia a figura do vampiro tem vindo a ser explorada de diversas formas por vários autores, transformando-os em guerreiros em batalhas eternas com outras criaturas, também lendárias. Há autores que ligam a figura vampirica à sedução, tornando-os terrivelmente sedutores e tentadores, utilizando essa mesma arma para caçar as suas vitimas...
Existindo até mesmo autores que contrariando as lenda mais antigas, tranformaram o terrivel e temivel vampiro numa criatura amável, amigável e boazinha e que até não caça humanos para se alimentar, mas sim animais...

      Bom hoje em dia existem vampiros para todos os gostos, bons, maus, sedutores, solitários, sociáveis, etc...
      O mundo vampirico consquistou e continua a consquistar muitas mentes e corações que desejam ardentemente ser um deles, pertencer a esse mundo de sedução, aventura, românce, poder e imortalidade...
Este mundo vampiresco pessoalmente me encanta...

2 comentários:

Anônimo disse...

nossa está ficando cada vez mais interessante essa historia. bjs <3

Anônimo disse...

EU ACREDITO